sábado, 23 de outubro de 2010

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Créditos da Imagem:  http://juniormonkey.deviantart.com
Tecendo frases, versos, rimas
Persistimos acreditando nos sonhos
E enxergando beleza no mais simples da vida:
Um sorriso, uma lágrima, uma flor,
Um olhar, uma ausência, um amor,
São mais que detalhes, são dádivas divinas
Vale a pena notar, traduzir, perceber
Vale a pena acreditar, cantar, escrever !

Feliz dia do Poeta !
Créditos do texto: Agny Tayná Mota

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sabe aqueles dias ?! 
Pois é !
PS: De perto, ninguém é normal !

Créditos: Agny Tayná Mota

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

 Do porque escrevo...
Créditos da Imagem: http://fatty-666.deviantart.com
Uma hora ou outra vida da gente abre suas portas e janelas, e não dá pra reter o que se sente, é preciso deixar transbordar, extravasar, fluir, deixar-se fundir com a luz que  vem de fora, entrar em sintonia... 

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Créditos da Imagem: carus-miles.deviantart.com
Às vezes não consigo controlar essa necessidade de que você saiba que te amo. É aquela vontade que vem do nada, chega de mansinho e só sossega quando satisfeita. Vontade de ligar no meio da noite, antes de dormir, durante a aula, no fim do dia, vontade de escrever um verso, uma canção, vontade de sair do meu mundo e ir encontrar o seu, vontade de fechar os olhos e deixar sentir, seja la o que for, mesmo que a saudade aumente, tudo pra que você saiba, ou que relembre, que eu amo você. Chega a ser engraçado: na hora a pulsação acelera, desanda; o corpo reage, estremece; o êxtase toma cada uma das minhas veias, muda meu ritmo... e a gente pensa que com o tempo essas palavras se tornam tão simples, pra alguns até banal, mas não é assim. Pra mim, sempre parece ser a primeira vez, talvez seja porque me reapaixono a cada dia, a cada momento novo... Tenho pensado que preciso criar palavras novas, pra que você entenda a imensidão do que sinto por você, mas não sou boa em neologismos e o sentimento é tanto que não se pode designar. Eu sei, nem precisaria falar...mas o que posso  fazer ? Esse meu coração são sabe disfarçar, não sabe sentir sem explicitar, mesmo que  as  palavras não digam, eu jamais conseguirei esconder, já está tão claro, transparente... Tudo que existe em mim transborda, evidencia... e eu só sei que amo você.

E que a minha loucura seja perdoada, porque metade de mim é amor, 
e a outra metade... também.
Oswaldo Montenegro

Créditos do texto: Agny Tayná Mota

sábado, 9 de outubro de 2010

Felicidade é a gente quem constrói, 
Em cada sorrir, em cada lágrima, em cada 
sentimento compartilhado, ou não... 
São detalhes...
E eu sempre soube que os detalhes fazem total diferença

Créditos do Texto: Agny Tayná Mota

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Créditos da imagem: http://julkosiowa.deviantart.com
As vezes meus pensamentos são tantos que as palavras não conseguem traduzir,
Em outras, as palavras saem naturalmente nem dão tempo do pensamento medir 

As vezes tenho pensamentos tão complexos, que a boca não sabe dizer,
E tenho palavras tão sutis que o pensamento não quer, nem precisa entender.


E a gente vive assim, nesse jogo de cumplicidade, nessa brincadeira,
a gente se completa, é união pra vida inteira.
Entre divertimentos e seriedade, na verborragia e no silêncio
em cada contraste e nas cores,a gente se compreende também,
E vai vivendo e crescendo e aprendendo,
A gente aprendeu a se dar bem !


Créditos do texto: Agny Tayná Mota

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Créditos da Imagem: DeviantArt
Olho em meus olhos,  
Minha imagem refletida no espelho 
Eu vejo a mim e, no entanto, me pergunto quem sou.
Sorrio, encaro-me, faço caras e bocas, 
Consigo ver meu sorriso, meu olhar, 
tudo aquilo que as pessoas enxergam e chamam por meu nome
Parece tão simples, realmente: um par de olhos, ouvidos e membros, 
uma boca, um corpo, uma mente. Esta sou eu?  Não, observo...
Está ainda mais além, por mais que haja 'aquilo' de mim possível de ver 
Percebo que o 'eu' genuíno, está aquém do palpável
É complicado de entender !
Eu posso sentir, sei que existe e permito a algumas pessoas o conhecerem também.
Por mais estranho ou bobo que pareça,
Entendo e descubro-me enfim, porque o que vejo é só matéria, 
Eu sou o que existe além de dentro de mim!


Créditos do texto: Agny Tayná Mota

Hoje eu  me rendi ao perfume da inocência, 
Li em estado de êxtase momentos tão simples e cotidianos de mãe e filha, e me deliciei...
Percebi-me por tantas vezes sorrindo, gargalhando, e os olhos brilhantes diante  da sutileza e vivacidade existente nas crianças...
É verdade que a inocência sempre me encantou, e é mesmo uma pena que ela esteja, hoje, tão maculada... 
Essa essência, esse sabor tão doce e sutil da infância, sendo jogado nas ruas, substituídos por doses exageradas de realidade, e o mundo outrora cor de rosa vertendo-se em cinza, é mesmo triste de se ver. Todo o perfume, esse sabor excitante, os sorrisos ao acaso, a 'lógica' para elas tão simples do pensamento, os suspiros de prazer, os sustos e exclamações surpresas com coisas que para 'gente grande' é tão habitual e simples, todo esse encantamento genuíno diante de um mundo que se tornou a nossos olhos estupidamente normal. Os desejos, os planos, tudo tão imaculado e açucarado...é lindo de se ver.
Deus queira que esses pequenos, porém tão essenciais e importantes detalhes, não sejam ainda mais deturpados pela realidade! 
Eis a esperança para esse mundo, que se conserve a essência, a inocência já tão perdida, a pureza, candura, ingenuidade da verdadeira  e singela infância.



"- Mamãe, eu acho essa tiara linda, mas eu quero tirar um pouquinho...
- Por que Bebela ?
- Porque ela aperta os meus pensamentos ! "
"- Você sabe o que é um anjo filha ?
- Sei mamãe... é uma pessoa que protege a gente e que parece borboleta."

"- Papai, por que você usa óculos ?
- Porque o papai tá com a vista cansada, filha.
- Então não precisa papai, é só deixar ela dormir."


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Relevância...

Sorri sem motivo aparente. Era nada? Felicidade, só !
Olhei em seus olhos, tentei transmitir a imagem íntima, profunda, do meu sentir. 
Por tantas vezes o silêncio foi necessário, porque palavras são limitadas. 
Abracei sem motivo aparente, mas não 'por abraçar',
Abracei por querer sentir, saber, acreditar que era real !
Falei pouco, ou não falei, pensamentos embaraçados e a boca se cala 
diante da imensidão do sentimento.
Amar é assim, e tem gente que não entende, 
A gente sente, extasiados e não dá pra traduzir 
Até a razão se perde pelas vias, Se rende ao calor da pulsação 
Que, descontrolada, inebria, Deixando os pensamentos em confusão 
Enquanto o coração se extasia, delicia..


Créditos do texto: Agny Tayná Mota
"Escrevo o que estou sentindo, e é nesse instante que tenho a certeza de que não sou eu quem doma as palavras, são elas que buscam a minha emoção, são elas que têm dominante razão. Certeiras, esguias, os traços que me trazem a calma
não conheço outra forma de ser escritor, se não com a alma"
-
(Adriana N. Amaral)