quarta-feira, 23 de março de 2011

Eu tenho medo, confesso. Tenho medo de que todos esses meus desejos sejam apenas desejos, que meus sonhos não passem de sonhos, e acima de tudo isso temo que estes meus desejos e sonhos não sejam realizados ao seu lado. A verdade é que tenho um medo súbito de que o nosso pra sempre não seja pra sempre. Tenho medo de não poder envelhecer ao teu lado, de não continuar essa nossa história sem vírgulas ou pontos finais. Tenho um medo enorme de perder você de vista, de não ter sua companhia, sua parceria, seu cuidado e principalmente temo perder um dia todo o seu amor. Isso se explica em uma frase que sempre repito : " É que eu já sou tão tua que não sei e temo jamais poder saber ser de outro alguém". Meus sonhos já são tão vinculados aos teus, que não sei conceber futuro sem a sua presença reconfortante ao meu lado. E por isso temo, você é muita parte de mim, eu já sou toda você !


AgnyMota 

quarta-feira, 16 de março de 2011

Eu sanciono a lei destinada ao seu coração,
Aprovo o artigo em que se afirma que você será sempre meu. 
Todas as normas éticas, morais e de Direito 
Que basearão nossa Constituição
serão criadas com o fim de esclarecer com efeito
que você no meu coração foi eleito
como minha eterna paixão !

NHÁ *-* KKK 
É isso aí ! 
Por Agny Tayná Mota
          Por vezes olho dentro em mim e não me vejo, encontro ali dentro uma mulher que desconheço, isso me assusta. Mas, sei, é pura obra do tempo que aos poucos vai moldando a menina, como um oleiro molda o barro, transformando-a em uma mulher: forte,mas não inatingível; um tanto mais sábia, porém não o suficiente para que não possa aprender; madura? Talvez, mas nunca o suficiente, para que não possa perder o encanto existente na inocência da infância. 
        Encontro em mim palavras novas, atitudes novas, reações adversas, antes inexistentes, no entanto sei, nada disso é o bastante para que deixe de ser quem sou (e também não desejo isso)apenas serei levada, passo-a-passo, a  me tornar a mulher que nasci para ser, mesmo que nunca perca o sabor de ser a menina que sempre fui. 
                                                            Mais uma dos meus conflitos internos, não se preocupe em entender! 
Agny T. Mota


quinta-feira, 3 de março de 2011

Eu preciso da paz daqueles dias quentes, daquele céu azul e das árvores ao meu redor...
Tenho saudades da chuva com sabor de encontro de amigos ou um sonho bom, um filme, conversas jogadas fora...
Preciso do silêncio entre os cantos dos pássaros, de um passeio de bicicleta, da simplicidade e irreverência de um lugar tranqüilo assim. 
Tenho saudade de encontrar conhecidos a cada esquina, de sorrir sem motivo algum, de poder caminhar sem temer algum perigo, de estar e se deixar estar, sem preocupações... 
Preciso de um banho de rio, uma rede pra deitar e dessa felicidade sem explicação ... 


Agny Tayná
"Escrevo o que estou sentindo, e é nesse instante que tenho a certeza de que não sou eu quem doma as palavras, são elas que buscam a minha emoção, são elas que têm dominante razão. Certeiras, esguias, os traços que me trazem a calma
não conheço outra forma de ser escritor, se não com a alma"
-
(Adriana N. Amaral)